O que você precisa saber antes de abrir uma empresa

Entre as dúvidas de quem deseja abrir seu próprio negócio estão: qual é o momento certo de abrir e como abrir uma empresa?

O momento certo é uma coisa que precisa ser analisada pelo próprio empreendedor/empresário. Afinal, mais do que capital, abrir um negócio exige conhecimento do mercado, alinhamento das áreas envolvidas nesse negócio e bons profissionais envolvidos. Caso contrário, sua empresa pode morrer em dois anos.

E isso não é um chute, é um dado real tirado de uma pesquisa feita pelo Sebrae em parceria com a FGV que avaliou o tempo médio de vida das empresas brasileiras e a situação dos seus fundadores no momento em que elas foram abertas.

Em 30% dos casos os donos das empresas que ficam inativas em dois anos estavam desempregados e, por isso, resolveram se aventurar em um negócio. Outro motivo para esse curto tempo de vida dos negócios brasileiros era a má gestão.

Sendo assim, o momento certo de abrir uma empresa é bem relativo, o que podemos dizer é: analise o cenário e o mercado para o qual você quer entrar, selecione bos soluções que vão te ajudar a escalar seu negócio e tenha bons profissionais ao seu lado. Tudo isso é importante!

Mas, o que você precisa saber antes de abrir uma empresa?

“Abrir uma empresa é fácil, difícil é fechar”, isso é o que costumam dizer sobre esse processo. Mas, fizermos este artigo para você entender um pouco sobre as diferentes empresas e o que precisa para abri-las. Coisas como: onde ir, requisitos necessários, compromissos assumidos, tipos de empreendedor, etc. Então, vamos à primeira dúvida que surge depois que você decidiu abrir seu negócio.

Ter um CNPJ ou CPF?

Em primeiro lugar, quando se tem um CNPJ, o empresário gera confiança no comprador, engajando sua marca como profissional. Além disso, tem-se alguns benefícios, pois as vendas não são mais tratadas a partir de um ponto de vista comum, mas a partir de um regime jurídico de empresa (muda a forma como se vê o negócio).

É certo que o CNPJ traz diversas responsabilidades, porém, traz consigo, também, credibilidade e acima de tudo a regularização do seu negócio.

Fizemos uma comparação entre os dois modelos, veja:

  • CNPJ: não tem restrições
  • CPF: tem restrições

Você não consegue ter uma empresa, de fato, sem CNPJ. Para estar regularizado diante do mercado, você precisa ter um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, senão terá diversas restrições, inclusive na hora de oferecer diferentes formas de pagamento – muitas adquirentes não homologam empresas sem CNPJ.

  • CNPJ: tem credibilidade
  • CPF: não tem tanta credibilidade

Uma empresa registrada com CNPJ passa muito mais confiabilidade para o mercado do que os serviços/produtos vendidos por alguém que não tem. Isso não só para clientes, mas também para parceiros e fornecedores.

  • CNPJ: emite nota fiscal
  • CPF: não emite nota fiscal

Para fazer uma compra, as pessoas e empresas contratantes do seu serviços exigem nota fiscal sobre o produto vendido ou serviço prestado. Sem isso, elas não compram e, consequentemente, você perde clientes por falta de credibilidade.

Muitas pessoas ainda têm preconceito quanto a abrir um CNPJ, mas é para isso que o MEI foi criado. Assim, você consegue regularizar seu negócio e ir ajustando seu enquadramento (para Eireli, Sociedade e etc) ao passo que a empresa crescer.

Se você deseja realmente ter um negócio profissional, é essencial que abra uma empresa com CNPJ!

Quanto tempo demora para abrir uma empresa?

Abrir uma empresa é algo relativamente fácil. As formas de abertura são diferentes, tudo depende do tipo de empresa que você precisa. As principais são: Sociedade Limitada (Ltda), Individual (MEI) e empresa individual de responsabilidade limitada (Eireli).

A MEI, por exemplo, pode ser aberta em menos de 7 minutos, visto que sua abertura acontece on-line. No entanto, a receita bruta anual (de janeiro a dezembro) desse modelo não poderá ultrapassar R$ 60.000,00. Caso a MEI se formalize no decorrer do ano, a receita bruta de R$ 60.000,00 será proporcional aos meses após formalização.

Se a receita ultrapassar isso, ou existir uma expectativa concreta de que isso ocorrerá em pouco tempo, é recomendável abrir já com uma EIRELI ou Sociedade, conforme abaixo:

Para abertura de sociedades e EIRELI, abarca contrato social, contratos com os sócios, maiores taxas, mais obrigações. É mais burocrático.

Mas, calma! Você só precisa encaixar suas necessidades e receita bruta anual de acordo com os tipos de empresário. Formalizar uma sociedade ou uma EIRELI implica na contratação de bons profissionais (advogados ou contadores). Assim você “se livra” de uma parte dessa burocracia toda e pode abrir uma empresa em torno de 10 a 15 dias e já começar a vender e emitir notas fiscais.

O que precisa para abrir uma empresa?

Caso você queira abrir uma MEI, só precisa do número do CPF e data de nascimento do titular, o número do título de eleitor ou o número do último recibo de entrega da Declaração Anual de Imposto de Renda Pessoa Física – DIRPF, caso esteja obrigado a entregar a DIRPF.

Para abrir uma Ltda ou EIRELI, você precisa de:

  • Cópia autenticada de RG, CPF, certidão de casamento (se casado);
  • Comprovante de residência dos sócios;
  • Os mesmos documentos devem ser fornecidos pelo administrador, caso este não venha a ser um dos sócios.

Depois disso:

Esse documentos vão compor um requerimento que deve ser assinado por administrador, sócio ou procurador com poderes gerais ou específicos, ou por terceiro interessado, devidamente identificado com nome completo, identidade e CPF.

  • 1º Passo – Elaborar o Contrato Social (sociedade) ou requerimento de empresário (empresa individual);
  • 2º Passo – Ir à Junta Comercial para levar o Contrato Social e obter do NIRE e CNPJ;
  • 3º Passo – Obter a Inscrição Municipal na Prefeitura (para empresas de prestação de serviços) e senha online para poder emitir NFS-e.

Cumprindo esses requisitos, a empresa já poderá iniciar seu funcionamento.

Atenção na hora de abrir uma empresa

Um dos principais cuidados na abertura de uma empresa usando CNPJ é o devido enquadramento na escolha de um CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas). Trata-se um número, um código de padronização de atividade econômica. Esse código deve corresponder a uma atividade econômica idêntica à que consta no Contrato Social, caso tenha.

Outra dica importante é sobre as obrigações do empresário. No caso da MEI, uma pesquisa na internet pode ser suficiente para compreender o funcionamento desse modelo, mas para as outras empresas mais complexas a contratação de um advogado ou contador (como já dissemos aqui) é indispensável. Dessa forma, você regulariza sua empresa e já pode começar a turbinar suas vendas.

 

 

Leave a Reply

Next ArticleDesafios para automatizar a emissão de notas fiscais